03Fev/11

Produção industrial atinge maior alta em 24 anos

A produção industrial brasileira cresceu 10,5% em 2010 em comparação com o ano anterior. Esta é a maior alta registrada desde 1986, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Ao longo de 2010, as 14 regiões pesquisadas mostraram crescimento. O bom desempenho veio após a queda de 7,4% em 2009, enquanto a economia brasileira ainda amargava os efeitos da crise econômica mundial.

Entre as atividades, o maior aumento foi dos setores de veículos automotores (24,2%) e de máquinas e equipamentos (24,3%), acompanhados por metalurgia básica (17,4%), indústrias extrativas (13,4%), produtos químicos (10,2%), metal (23,4%), alimentos (4,4%), borracha e plástico (12,5%) e bebidas (11,2%).

Apenas os setores de produtos do fumo (com queda de 8%) e equipamentos de transporte (0,1%) apresentaram taxas negativas.

No quarto trimestre de 2010, a atividade teve crescimento de 3,3% sobre o mesmo período do ano anterior, mas com variação negativa de 0,1% sobre o terceiro trimestre de 2010.

A produção em dezembro de 2010 cresceu 2,7% se comparada com o mesmo mês do ano anterior. Comparada com novembro de 2009, a queda foi de 0,7%.

Em dezembro na comparação com o mesmo mês de 2009, foi acusado crescimento em 19 dos 27 setores, destacando o de veículos automotores (12,1%), indústrias extrativas (10,4%) e máquinas e equipamentos (6,2%).

Nas categorias de uso, as maiores altas foram nos setores de bens de capital (6,2%) e bens de consumo duráveis (6%). A atividade de bens intermediários obteve crescimento de 2,7% e a de bens de consumo semi e não duráveis, 0,4%.

Na comparação entre dezembro e novembro, 15 setores apuraram crescimento da produção e 11 tiveram queda. As maiores baixas ficaram com os setores de material eletrônico e equipamentos de comunicações (13,3%), metalurgia básica (4,2%) e edição e impressão (2,5%).

Nas categorias de uso, três tiveram recuo no período: bens de consumo duráveis (0,6%), bens de consumo semi e não duráveis (0,4%) e bens de capital (0,5%), já a produção de bens intermediários manteve-se estável.

Com informações da Reuters e do UOL Economia.

Últimas notícias do mercado
Setor nacional de beleza masculina deve superar os EUA Mantendo o ritmo de 7,1% anualmente, o Brasil pode ser o maior mercado do mundo em 2018 60% dos brasileiros acreditam na mídia nacional, diz estudo Pesquisa coloca o Brasil em segundo lugar no índice de confiança do público nos meios de comunicação Mercado nacional de mídia deve crescer 4,6% ao ano até 2021 O segmento deve movimentar US$ 13 bi em publicidade no mundo, segundo a PwC Produção de bens de capital tem alta de 1,5% em abril Segundo IBGE, a fabricação de bens de consumo duráveis também teve um aumento esse ano Varejo apresenta crescimento no 1º trimestre de 2017 Segundo dados do IBGE, os números são superiores aos do último trimestre de 2016 Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Porto Alegre (51) 3231-5222
Compartilhe
web by Citrus7 2017 | © Todos os direitos reservados