29Nov/17

Poder dos influenciadores digitais vai além da geração Y

O termo influenciador digital certamente foi um dos mais usados na publicidade durante 2017. Celebridades, blogueiros e youtubers se tornaram uma verdadeira força para a comunicação de empresas e marcas nos últimos anos, principalmente no Brasil, onde as pessoas são grandes produtoras e consumidoras de conteúdo e entretenimento online. Cada vez mais relevantes, eles estão longe de sair do radar das marcas. Mas será que a popularidade se converte em influência? Recentemente, o Instituto Ipsos realizou uma pesquisa para mostrar ao mercado publicitário que nem sempre o rosto mais famoso é a melhor escolha para vender um produto ou serviço.

O levantamento constata que o consumidor não pensa, necessariamente, que a maior celebridade é a escolha mais adequada para uma campanha publicitária. Além dos rostos da mídia tradicional, o estudo fez a mesma comparação com estrelas da internet, os blogueiros e youtubers. Alexandre Ottoni, do Jovem Nerd, Publisher representado pela boo-box/ftpi (empresa do Grupo FTPI com rede qualificada de sites e blogs disponíveis para campanhas de mídia com formatos tradicionais e especiais), ficou no “Top 5” do ranking de influência entre 22 youtubers e bloggers, incluindo nomes como Iberê Thenório, Nathalia Arcuri, Whindersson Nunes e Camila Coelho.

Ao saber da pesquisa, Ottoni comemorou com seus seguidores em suas redes sociais e disse encarar o resultado com muita responsabilidade. “Estou muito feliz de figurar no Top 5 de creators do YouTube mais influentes do Brasil. Agradeço a todos que me consideram”, escreveu em seu perfil no Twitter.

O estudo levou em consideração fatores como confiança, sucesso, comprometimento, modernidade, família, alegria/carisma e atração. Cada uma das características tem um peso diferente, sendo confiança e sucesso as duas mais importantes. Para Marina Cunha, CEO da boo-box/ftpi, a mensagem de um influenciador é recebida de um modo diferenciado. “O post, um vídeo, uma foto de um influenciador não são vistos pelos seus seguidores como anúncio. Os influenciadores já estabeleceram uma relação de confiança com seus seguidores”, explica.

O Manifesto do Influencers Marketing, realizado pela Altimeter, mostrou que dos 1.753 influenciadores pesquisados, 71,2% dizem que seus seguidores permanecem engajados devido à autenticidade do influenciador. De acordo com o estudo, 82% dos entrevistados estão mais propensos a seguir uma recomendação dessas pessoas do que de um famoso.

A mesma pesquisa mostrou que 92% dos entrevistados acreditam que o influenciador é mais qualificado para explicar um produto, justamente por falar a linguagem do público alvo. “Os influencers não são seguidos apenas por jovens. Dados apontam que cerca de 20% dos pais da geração Y confiam nestas personalidades para tomadas de decisão”, explica Marina.

Últimas notícias do mercado
Anunciantes: o que muda no Facebook após o escândalo da Cambridge Analytica Como as mudanças na política de privacidade da rede social podem afetar o desempenho das campanhas de marcas Auto Draft O jornal Folha de Pernambuco é um veículo com 19 anos de história, voltado ao... Humor na publicidade: até que ponto vale a graça O humor sempre foi um dos pilares mais fortes da publicidade, mas é preciso acertar na dose para garantir sucesso Jovens interagem mais com a imprensa tradicional Em meio às preocupações com a polarização política, público jovem tem valorizado conteúdos editoriais com tom mais neutro Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Goiânia (62) 98129-0250
FTPI Porto Alegre (51) 99284-2534
Compartilhe
web by Citrus7 2018 | © Todos os direitos reservados