05Dez/11

Mulheres da classe C apostam em educação e bem-estar

Qualificação, educação para as crianças, beleza e lazer ganharam espaço no orçamento familiar das mulheres de classe C. Com o crescimento do poder de compra nestes últimos anos e com a elevação da participação no mercado trabalho, elas mudaram seus padrões de consumo, segundo Renato Meirelles, sócio-diretor do Data Popular, instituto de pesquisa especializado nas classes C e D, em entrevista para Carla Falcão, do iG São Paulo.

“O aumento da renda formal colocou as mulheres da classe C a um novo patamar, onde agora podem planejar as finanças e conquistar muito mais coisas, como educação de boa qualidade para elas e para os filhos. Mesmo com empregos formais, elas ainda complementam a renda com bicos e atividades extras que permitem dar mais conforto à família”, conta Meirelles.

É o caso de Dalva Pena, 40, uma babá que vive com o filho de 21 anos e a filha, de 17. Com uma renda fixa mensal de R$ 1,7 mil, ela trabalha cuidando de crianças e também recebe encomendas de bolos.

Ela conta que guarda praticamente todo dinheiro ganho com suas atividades extras, depositado cerca de R$ 400 todo mês em um fundo de renda fixa. Segundo Dalva, seu objetivo é assegurar o futuro da família.

Apesar da preocupação de conquistarem uma vida melhor e de reconhecerem a importância de poupar dinheiro, casos como o de Dalva ainda são poucos entre as mulheres da Classe C, que têm dificuldades em guardar uma quantia para o futuro. “O conceito de poupança tem valor para essas mulheres, mas elas ainda têm muitos sonhos de consumo, o que dificulta bastante a criação de uma reserva”, afirma Martinelli.

Entretanto, as mulheres da classe C adotam diferentes estratégias de organização do orçamento doméstico. Paula Espíndola Teles, analista de projetos, 29 anos, costuma usar as planilhas de gastos. Com uma renda mensal de R$ 4 mil, ela sustenta a casa em que vivem com sua filha de nove anos, o noivo e também os sogros. Com o noivo e o sogro desempregados há quase um ano, ela é responsável por todas as despesas da família. Segundo ela, o rígido controle das finanças é o segredo para não se endividar.

Com informações de Carla Falcão, do iG São Paulo, iG Economia.

Últimas notícias do mercado
Mercado nacional de mídia deve crescer 4,6% ao ano até 2021 O seguimento deve movimentar US$ 13 bi em publicidade no mundo, segundo a PwC Produção de bens de capital tem alta de 1,5% em abril Segundo IBGE, a fabricação de bens de consumo duráveis também teve um aumento esse ano Varejo apresenta crescimento no 1º trimestre de 2017 Segundo dados do IBGE, os números são superiores aos do último trimestre de 2016 Impacto da televisão continua forte entre os consumidores Pesquisa da Kantar Media descreve o comportamento do consumidor nas plataformas de mídia atuais Expectativa de baixa inflação deixa consumidores otimistas A confiança reflete a melhora das perspectivas em relação ao emprego e situação financeira, diz pesquisa Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Porto Alegre (51) 3231-5222
Compartilhe
web by Citrus7 2017 | © Todos os direitos reservados