04Abr/12

Metade dos brasileiros prefere compras online, diz estudo

Segundo dois estudos recém-divulgados pela divisão de consultoria da IBM: “Winning over the Empowered Consumers e Collective Intelligence – Capitalizing on the crowd”, os varejistas precisarão rever suas formas de atuar ao longo dos próximos anos.

O primeiro estudo, que consultou 28 mil consumidores de 15 países, entre eles 1,8 mil brasileiros, dá conta de que as pessoas estão cada vez mais dispostas a revelarem informações pessoais aos seus grupos favoritos de varejo se isso lhes garantir novas experiências de consumo, mais personalizadas e eficientes. Cerca de 60% dos entrevistados dizem-se confortáveis em divulgar nome e endereço aos varejistas e 59% revelariam conteúdo sobre estilo de vida, como quantidade de bens, frequência de viagens e filhos. Já os brasileiros são mais contidos: 55% estariam dispostos a passar dados demográficos básicos e 41% concordariam em divulgar informações sobre estilo de vida.

A maior barreira hoje está em passar aos varejistas informações financeiras, como renda familiar mensal. Para 55% dos brasileiros, seria desconfortável informar estes dados às empresas, já 21% concordam. Metade dos entrevistados não gosta de informar dados que permitam sua localização e 45% não admitem passar o número de documentos pessoais, como RG e CPF.

O estudo deixa claro também que os consumidores estão dispostos a usar cada vez mais dispositivos tecnológicos para pesquisar e comprar. Mais de 50% dos brasileiros preferem as compras na internet, por acreditarem que têm mais variedade e preços menores, e 87% gostariam de usar dispositivos móveis para pagar por produtos e serviços.

O segundo estudo, por sua vez, apontou caminhos para o setor adaptar-se à complexidade proveniente dos múltiplos canais de vendas e interação com os clientes. O principal deles será a inteligência coletiva, que desempenhará um papel importante no processo de geração e compartilhamento de ideias entre varejistas e consumidores.

Sobre a popularidade e a aceitação do e-commerce, o estudo diz que dispositivos móveis e de mídia social continuam em crescimento, mas os clientes ainda apontam a loja como melhor forma de comunicação com os varejistas. Importantes partes das transações móveis ainda acontecem na loja, entre elas entregas, devoluções e outros serviços. Além disso, 85% das decisões de compra também são feitas na loja física. Atualmente, as tecnologias mais usadas para compras pela web são sites, celulares, tablets e redes sociais.

Com informações do AdNews / Adaptação: Equipe FTPI.

Últimas notícias do mercado
Mercado nacional de mídia deve crescer 4,6% ao ano até 2021 O seguimento deve movimentar US$ 13 bi em publicidade no mundo, segundo a PwC Produção de bens de capital tem alta de 1,5% em abril Segundo IBGE, a fabricação de bens de consumo duráveis também teve um aumento esse ano Varejo apresenta crescimento no 1º trimestre de 2017 Segundo dados do IBGE, os números são superiores aos do último trimestre de 2016 Impacto da televisão continua forte entre os consumidores Pesquisa da Kantar Media descreve o comportamento do consumidor nas plataformas de mídia atuais Expectativa de baixa inflação deixa consumidores otimistas A confiança reflete a melhora das perspectivas em relação ao emprego e situação financeira, diz pesquisa Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Porto Alegre (51) 3231-5222
Compartilhe
web by Citrus7 2017 | © Todos os direitos reservados