20Jun/17

Mercado nacional de mídia deve crescer 4,6% ao ano até 2021

No dia 07 de junho, foi apresentada em São Paulo, a 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017/2021, da PwC. O estudo, orientado pelas transformações no consumo de conteúdo de mídia multiplataforma, mostrou que o mercado brasileiro deve crescer 4,6% ao ano até 2021, totalizando US$ 43,7 bi. O crescimento é superior à média global, que segue em 4,2%, prevendo receita de US$ 2,23 trilhões nos próximos cinco anos.

No ano anterior, a expectativa era de que o saldo no segmento de mídia e entretenimento no país crescesse com taxa anual de nacional era de 6,6%, e no mundo, 4,4%. Os líderes são os que tem mais experiência no mercado e mais desenvolvidos, Estados Unidos em primeiro, seguido por China, Japão, Alemanha e Reino Unido. O Brasil ocupa a décima posição.

O levantamento também mostrou que os meios tradicionais lideram os investimentos publicitários no setor de mídia e entretenimento. O budget total de 2016 no Brasil foi de R$ 10 bilhões, 80% foi direcionado para o setor, com a TV aberta liderando com 51% do montante.

“O Brasil é o país da TV aberta. É onde a penetração desse meio é monumental, assim como seu poder econômico e a capacidade de inserir tendências. Ela não vai a reboque. É quem lidera o processo”, argumentou Carlos Giusti, sócio da PwC. O meio internet segue em segundo lugar no ranking de investimento publicitário, representando 27% do bolo.

Os valores direcionados para plataformas digitais devem crescer 11,9% ao ano até 2021, chegando a US$ 3,6 bi. Nas mídias tradicionais, o crescimento é de 3,5%. O consumo de conteúdos ligados a games e música vem crescendo, refletindo nos números da pesquisa. No Brasil isso se torna ainda maior, diante da oferta de acesso à internet, sobretudo, mobile.

Jogos para dispositivos móveis, por exemplo, terão crescimento de 17% até 2021. Mas segundo Giusti, o acesso à internet ainda precisa ser melhorado, refletindo diretamente no desempenho do setor.

“Não é possível aumentar o consumo de mídia ou em publicidade sem disponibilizar internet para as pessoas. A televisão continua importante e vai continuar sendo, porém o consumo não é puramente sobre plataforma, mas conteúdo, sobre vídeo, e para isso é preciso disponibilizar acesso”, destacou Giusti.

A pesquisa reuniu dados de 54 países e 17 áreas do mercado, mostrando que, apesar da instabilidade política e econômica no Brasil, o mercado nacional manteve números positivos.

Com informações do Propmark | Adaptação: Equipe FTPI

Últimas notícias do mercado
Faturamento editorial ganha impulso pelo e-commerce Mais de 16 milhões de títulos foram vendidos em 2016, diz pesquisa Programas culinários movimentam R$ 800 milhões em mídia No primeiro semestre de 2017, compra de espaço publicitário foi 17% maior que o mesmo período do ano passado Compra de mídia cresce 2% no primeiro semestre de 2017 Volume total de publicidade foi de R$ 61,9 bi nos seis primeiros meses desse ano, segundo Ibope Ativação do consumo no varejo cresce no Dia dos Pais Incertezas no cenário político não impediram o aumento de 10% nas vendas online TV está presente em 97% das casas dos brasileiros Online aumenta penetração de mercado, mas mídias tradicionais seguem líderes quando se trata de consumo de notícias Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Porto Alegre (51) 3231-5222
Compartilhe
web by Citrus7 2017 | © Todos os direitos reservados