23Mar/12

Em 7 anos, mais de 40 milhões subiram à classe C

Cerca de 40,3 milhões ascenderam à classe C entre 2005 e 2011. Assim, em sete anos, este estrato social passou de 34% para 54% da população, segundo o estudo “O Observador Brasil 2012. Em 2005, a classe C somava 62.702.248 brasileiros. No ano passado, esse número havia passado para 103.054.685. Em 2010, já eram 101.651.803, ou seja, 53% da população.

O estudo, que foi desenvolvido pela Cetelem BGN em parceria com a Ipsos Public Affairs, revela que em 2011 as classes A e B respondiam, juntas, por 22% do total da população, enquanto as classes D e E somavam 24%.

A pesquisa diz ainda que a renda média familiar da classe C subiu de R$ 1.107 em 2005 para R$ 1.450 em 2011, um crescimento de 30,9%. A renda média familiar geral da população passou de R$ 974 para R$ 1.618, um aumento de 66,1%.

O aumento da renda média familiar geral foi impulsionada pela classe C de 2010 para 2011, esta foi a única faixa da população em que foi observado crescimento. A renda das pessoas da classe C passou de R$ 1.338 para R$ 1.450. Já nas classes A e B, a renda média familiar foi de R$ 2.983 para R$ 2.907, nas classes D e E, o valor caiu de R$ 809 para R$ 792.

Com informações de Wladimir D’Andrade, da Agência Estado / Adaptação: Equipe FTPI

Últimas notícias do mercado
Consumidores brasileiros estão mais otimistas para 2017 Pesquisa identificou o percentual de pessoas que pretendem ir as compras no natal e o comportamento de consumo Investimento em publicidade deve crescer 3,3% no Brasil Apesar da crise econômica, investimentos globais podem crescer 4,2% no próximo ano, aponta pesquisa do Warc Autoatendimendo deve crescer em três anos no Brasil Consumidores querem experimentar novas tecnologias na hora da compra, entre elas estão o 3D e a Realidade Virtual Crise está alterando hábitos de consumo, segundo estudo A Kantar Worldpanel revela que brasileiro está mais estressado e opta por simplicidade na hora da compra O Live Marketing está alavancando empresas no Brasil Pesquisa da Ampro e da SSK, revela como o setor movimenta R$ 44 bilhões em meio a crise financeira do país Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Porto Alegre (51) 3231-5222
Compartilhe
web by Citrus7 2016 | © Todos os direitos reservados