05Jan/11

Classe C já representa 50% do mercado de consumo

A WMcCann apresentou os resultados da pesquisa sobre o consumidor da classe C. Segundo Aloisio Pinto, VP da agência e Head de Planejamento, 50% do mercado de consumo é representado pela classe C, mas “as agências de forma geral ainda são muito preconceituosas” na criação para esse grupo.

De acordo com o estudo realizado pela agência e publicado no jornal Folha de S. Paulo, a classe C não gosta do que parece “chique” e aprendeu a ter um “radar” contra a inferioridade.  Os consumidores desse grupo preferem se afastar de locais e de pessoas que falam de uma “maneira diferente” da dele. Os números revelam ainda que, na compra, 48% dos entrevistados com faixa de renda de R$ 1.000 a R$ 2.000 dizem não a produtos sofisticados demais, 49% se afastam quando a embalagem “diz coisas” que ele não entende e 32% deles rejeitam produtos de nomes complicados de se pronunciar.

“A classe emergente não busca nada que seja estereotipado, nem em produto nem em comunicação. Esse erro é bastante comum nas empresas menos preparadas. A solução não é adaptar o produto para o consumidor mais pobre, mas sim imaginar que ele, quando passa a ter poder de compra, deseja ter o comportamento de um consumidor A”, disse o diretor de inteligência de mercado da agência Y&R, César Ortiz, à Folha.

Os resultados do estudo evidenciam ainda as companhias que têm estratégia mais bem-sucedida para este estrato. Entre elas estão: Casas Bahia (36,7%), Magazine Luiza (9,5%), Nestlé (3,0%), Avon (2,4%) e Havaianas (2,4%).

Leia também o artigo de Marcelo Cazzo, Diretor Comercial da FTPI, sobre regionalização. O texto cita exemplos interessantes de estratégias inteligentes adotadas por grandes marcas para explorar o potencial de cada região brasileira.

Com informações do Adnews.

Últimas notícias do mercado
Faturamento editorial ganha impulso pelo e-commerce Mais de 16 milhões de títulos foram vendidos em 2016, diz pesquisa Programas culinários movimentam R$ 800 milhões em mídia No primeiro semestre de 2017, compra de espaço publicitário foi 17% maior que o mesmo período do ano passado Compra de mídia cresce 2% no primeiro semestre de 2017 Volume total de publicidade foi de R$ 61,9 bi nos seis primeiros meses desse ano, segundo Ibope Ativação do consumo no varejo cresce no Dia dos Pais Incertezas no cenário político não impediram o aumento de 10% nas vendas online TV está presente em 97% das casas dos brasileiros Online aumenta penetração de mercado, mas mídias tradicionais seguem líderes quando se trata de consumo de notícias Veja mais
FTPI
FTPI São Paulo (11) 2178-8700
FTPI Brasília (61) 3035-3750
FTPI Rio de Janeiro (21) 3852-1588
FTPI Nordeste (81) 2128-4350
FTPI Belo Horizonte (31) 2105-3609
FTPI Curitiba (41) 3026-4100
FTPI Campinas (19) 3296-6224
FTPI Porto Alegre (51) 3231-5222
Compartilhe
web by Citrus7 2017 | © Todos os direitos reservados